domingo, 27 de abril de 2008

Teatro: OS FPMs* REPRESENTAM SOBRETUDO EM ABRIL


Em 25 de Abril os FPM* comemoraram aparentemente a data. E falaram, e falaram, e falaram…
Para a maioria entrou a cem e saiu a duzentos. De palavras e discursos de conveniência estamos mais que fartos.

Não ouvi e quase nada li sobre o que os FPM* disseram e fizeram nesta data. Consegui perceber numas letras gordas que o presidente da República, Cavaco Silva, estava qualquer coisa como chocado pelo facto dos jovens nada saberem sobre o 25 de Abril de 1974…
Também li numas letras gordas que Otelo Saraiva de Carvalho dava razão a Cavaco Silva…
Possivelmente em mais letras gordas teria tido a oportunidade de me aperceber sobre o descaramento destes FPM* relativamente a esta questão e a outras também bastante importantes. Não estive para ler mais gordas nem magras. Já dei para o peditório de dar importância demasiada ao que os FPM* pronunciam. Interessa-me muito mais aquilo que fazem, ou não fazem quando devem fazer.

Sobre a razão que Otelo dá a Cavaco… Nem sei porque é que este paspalho ainda fala nestas coisas quando também foi um dos que traiu os ideais de Abril, arregimentando-se com bandidagem e ideólogos tarados que destruíram imensos jovens e não jovens com as suas organizações bem desorganizadas que preconizavam uma sociedade de bagunça!
Cala-te Otelo! Entretém-te a ler os antigos Página Um da Braamcamp e a contar os lucros dos teus negócios!

Sobre o choque e espanto do PR Cavaco Silva, relativamente à referida ignorância da juventude… dá-me vontade de rir ou de ficar preocupado com a saúde mental do PR.
Rir, porque Cavaco foi um dos responsáveis governamentais, o primeiro-ministro, durante quase uma década, que no ensino oficial - mas não só - contribuiu para o branqueamento do Salazarismo, da PIDE/DGS, dos horrores porque os portugueses passaram. Tendo contribuído também para a limpeza das memórias do 25 de Abril…
Exactamente por isto, a preocupação deve ser manifestada se admitirmos que o PR Cavaco não se lembra de nada de quando era primeiro-ministro.
Será preocupante concluirmos que temos um PR que padece de “brancas”, de esquecimentos precoces. Senilidade, quem sabe. Oxalá que não e que a saúde do PR Cavaco seja das boas e das melhores.

Pois a juventude que de nada se lembra, nem sabe, é a juventude dos ensinos xuxalistas e xuxiais-democratas. Até parece que o passado do PR não tem nada a ver com isso.
Não só com o ensino, onde tudo que é história de Portugal está, estúpida mas intencionalmente, resumido e incompleto. Também a RTP tem culpas no cartório pela não divulgação adequada. Até pelo branqueamento do regime salazarista e da guerra colonial, do exercício esclavagista português, e das chacinas feitas em África e em Timor, nas ex-colónias. Tudo está apagado das memórias dos portugueses.

Este seria assunto com pano para mangas, mas basta deixar aqui só umas quantas perguntas dirigidas aos esquecidos, invadidos pelo esquecimento hipócrita e conveniente, para eles, de que têm responsabilidades acrescidas pela ignorância da juventude e dos portugueses relativamente ao fascista Salazar e ao seu tenebroso regime, mas também sobre como lidámos com o colonialismo, o esclavagismo, etc. Portugal foi uma potência colonialista atroz, como as outras, mas historicamente reza que fomos uns santos. Para quando a verdade e trabalhos televisivos que o demonstrem e nos esclareçam? Portugal usou e abusou do esclavagismo. Para quando mostrarem essa história nas escolas e nos média? Para quando apresentar desculpas solenes e muito formais e sentidas aos povos que vitimámos?
Portugal e os portugueses padeceram de todos os modos com a vigência do consulado salazarista. Para quando a verdade nos manuais escolares e nos média? Porque decapitaram um programa da RTP chamado Anos 60, no consulado de Cavaco Silva? Porque decapitaram muitos outros, propostos àquela casa – a única televisão de então – e que iam para a gaveta ou para o lixo?
Chega de FPMs quererem fazer-se passar por não FPMs*.. assim, pretensiosamente cândidos, como se só agora tivessem chegado à política e ao rumo que este país tem tomado. Ao esforço que politicamente têm feito para branquear o salazarismo e camuflar o 25 de Abril, esvaziando da importância que teve e tem para Portugal, para as ex-colónias e para o mundo. Deixem de fazer teatro!

*FPMs – FEIOS, PORCOS E MAUS

Sem comentários: