sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

JOSÉ SÓCRATES, O CRÁPULA – PS, O CANEIRO DO LARGO DO RATO

.

OLHAI O SOL!

Cumpriu-se o que era imperioso cumprir. Foi o SOL que teve coragem de nos iluminar e trazer provas irrefutáveis de como vivemos entre carneiros desatentos que são capazes de votar num intrujão como José Sócrates. Pelo visto um individuo perigoso capaz de urdir planos sinistros para se apoderar de um país e da liberdade de um povo que fez fé nele, como fez Salazar e Caetano.

Oh, parvos, ergueis-vos! Olhai o SOL, vede como com a vossa inconsciência vão às urna de voto entregar uma procuração a súcias de malvados, de criminosos, de inimigos da verdade, da justiça e da democracia. E não façam como no futebol, "não gosto daquele voto no outro". Com os políticos não se brinca nem se deve decidir de ânimo leve em quem devemos votar ou NÃO. Os políticos portugueses – é aqui que vivemos – são uma súcia de malandros, de vigaristas. As excepções existem, mas esses, os honestos, nem lhes passa pela cabeça ter de mentir, de praticar atitudes nojentas, de venderem a alma ao diabo… só para serem primeiro-ministro, raramente se propõem a uma eleição porque sabem que ser honesto e competente não é qualidade apreciada pela maioria dos que vão votar. As pessoas preferem votar nos que mentem e dizem aquilo que os eleitores querem ouvir sobre uma vida "mar de rosas".

Temos no poder muitos Sócrates, na justiça e em muitas mais instituições. O que lemos no SOL é uma gota de água no oceano da Porcalhota Política Nacional. A Assembleia da República está pejada de malandros, Portugal está entregue a oportunistas salafrários que nos têm feito a vida negra. Não é por acaso que somos dos povos mais atrasados da Europa.

Neste caso, do bandido Sócrates e da sua enorme pandilha, houve SOL, apareceu alguém de coragem que não temeu as consequências de ameaças e fortes tentativas de silenciamento. Muito obrigado SOL, muito obrigado jornalistas do SOL, muito obrigado aos parcos jornalistas que restam neste país de gestores de conteúdos que passam a vida a gerir notícias para nos dourar a pílula e fazer com que vivamos no engano, uns escribas que deviam ser saneados pelos verdadeiros jornalistas, esses, os que têm de andar tão calados… Porque se falam, se escrevem como devem, arriscam-se a perder o ganha-pão, o seu amorfismo talvez seja compreensivel quando há família envolvida.

Mas atenção, sem a “força” que a oposição, o PSD sobretudo, tem “emprestado” a certos militantes e simpatizantes seus que são figuras chave de alguns órgãos de comunicação social, isto não já não era possível – desmascarar sem sombra de dúvidas o regime Sócrates. Isso significa coisas boas e coisas más. Primeiro, de vez em quando o sistema democrático funciona. Depois, o PSD não é muito melhor que o PS. Os partidos estão pejados de malandros que querem boa-vida, querem “orientar a viduxa”, a sua e de todos os oportunistas que se lhes colam. É assim que entram em manigâncias para nos tramarem. Regra geral são fracassados que vêem na política e nos partidos rampas de lançamento para o sucesso pessoal, na maior parte das vezes são pessoas medíocres que só por serem desonestas chegam onde chegam. Portanto, olhando para o horizonte… O caminho deste país não está melhor. Continuamos entregues à seita, estamos só a livrar-nos de uma ínfima parte dela, graças ao SOL.

E agora as consequências das verdades que passamos a saber através do SOL e das escutas? Vão ver que isto vai dar quase em nada. Os tipos demitem-se e vão para lá outros que daqui por uns tempos até podem vir a ser bem piores. O raciocínio é lógico, de ano para ano vivemos pior e com menos liberdades. O futuro é negro, caros cabeças tontas que se alienam das realidades do país e votam quase sempre à toa, pelo aspecto do vendedor e não por aquilo que ele representa. Por isso é que quase não há pessoas de valor a candidatar-se em eleições. Avançam os vendedores, os feios, porcos e maus. E vocês votam… porque aquele até tem uma gravata a condizer, e porque diz o que querem ouvir apesar de depois fazer o que bem entender e, quase sempre o contrário daquilo que prometeu. E, se preciso for, apesar de terem sido enganados à primeira, voltam a votar nele (neles) caso ele volte a dizer-vos o que querem ouvir. Votam nele (neles) mesmo sabendo que é um crápula.

Olhem que não há sempre SOL. Tivemos 50 anos de noite, escura como breu. Para lá caminhamos se vocês assim continuarem.

Claro que esses, os tontos, nem vão ler isto, estou a escrever para quê, para quem? Olha, que se lixe!

E mais, muito mais havia para escrever…
.